Image by Nathan Dumlao

Alternativas de novas fontes de receitas para o Ensino Superior

Novas fontes de Receitas

Muitas IES’s de sucesso no mundo uma integração entre a formação de pessoas e os Ambientes de Negócio, passando a preparar trabalhadores/profissionais, empreendedores e empresários.

 

Como resultado, valorizam suas marcas na captação de matriculas, geram oportunidades para produzir novas fontes de receita, tais como: aluguel de espaço, prestação de novos serviços, como: consultoria, mentoria e oportunidades de investimento nos novos empreendimentos que forem gerados, entre outras.

 

Para as IES’s avaliarem e se posicionarem com relação a oferecer um Ambiente de Negócios,  oferecemos um Workshop de 12 horas, a ser realizado em 3 reuniões com dinâmicas de 4 horas cada uma, presenciais ou virtuais, num intervalo de 1 a 3 semanas.

 

Esse worshop tem o objetivo de realizar uma avaliação com a Alta Administração da Direção da Instituição, para identificar as dores que estão impactando os seus negócios e entender as transformações que estão ocorrendo, cada vez mais rápido, por conta das inovações e das novas tecnologias.

A partir daí, vamos ajudar as IES a refletir sobre esse contexto e a propor alternativas de soluções, com estratégias e planos executáveis, com soluções para resolver essas dores e transformá-las em boas oportunidades, tendo como foco no o desenvolvimento de negócios e empreendimentos inovadores, construídos a partir dos propósitos e da capacidade de execução de cada Instituição, considerando as condições econômicas das IES’s, dos ambientes de negócio locais e regionais e dos recursos humanos, sociais e ambientas. 

Insights

No final do século 20 ocorreu um fato fantástico com relação à produção de conhecimentos científicos e tecnológicos: de 1965 a 2000, em 35 anos, foram produzidos 80% do total de conhecimentos acumulados nos últimos 300 anos, no período de 1700 a 2000. Foram gastos portando: 265 anos para produzir 25% e em 35 anos se produziu 80%. Esse fato dá a dimensão da forma acelerada que a inovação tecnológica está ocorrendo no mundo nesse momento.

 

O Brasil ocupa atualmente o 5º lugar na produção de conhecimento cientifico e tecnológico (segundo a Science and Engineering Indicators) e o  62º lugar no ranking de inovação no mundo (segundo o Global Innovation Index). Ou seja, apesar do aumento na facilidade de acesso a esses conhecimentos, em função dos avanços da tecnologia da informação e comunicação, não estamos sabendo gerar riqueza através da transformação de conhecimentos e tecnologia em novos produtos e serviços para a sociedade.

 

As instituições de ensino e os institutos de pesquisa governamentais são em grande parte os responsáveis pela produção de novos conhecimentos no País. Por outro lado, com menos matrículas e ingresso de alunos, as instituições privadas de ensino superior buscam a reinvenção. Apenas algumas poucas estão fazendo mudanças estruturais, como: promover mudanças curriculares, investir em novas metodologias de aprendizagem com foco na formação de lideranças e no empreendedorismo. Além disso, com o crescimento da oferta e procura dos cursos de educação à distância, muitas instituições privadas de ensino superior passam a ter espaços físicos sem ocupação ou, em alguns casos, até um campus inteiro sem utilização.

 

Neste cenário, as instituições privadas de ensino superior precisam buscar novas fontes de receita e dar maior utilização aos seus ativos imobiliários. Uma das formas de aumentar as fontes de receitas, ampliar os tipos de clientes e crescer a venda de serviços e estruturar e oferecer Ambientes de Negócio com áreas e mecanismos de geração de novos empreendimentos, que ainda, poderão tornarem-se uma âncora para o desenvolvimento sustentável, econômico e social no âmbito do seu bairro, município e até na sua região.