Image by Sean Pollock

Arquitetura e Modelo de Gestão

Como funciona?

O conceito de Arquitetura de Gestão tem a finalidade de permitir que as organizações tenham um modelo de gestão que permita aproveitar as transformações provocadas pelas novas tecnologias, novas economias e novos modelos de negócio. O modelo proposto pela consultora é composto de sete de focos de gerenciamento e cinco funções.

 

Os focos de gerenciamento são: negócios e resultados, transformações e mudanças, inovação e criatividade, pesquisas e alianças, capitais e investimentos, mercado e marketing e operação e qualidade. Os focos estão articulados às funções: estratégia, organização, pessoas, conhecimento e informação integradas pelas novas tecnologias de informação e comunicação, transformação digital e automação.

 

A arquitetura representa a síntese de uma visão abrangente em termos de gestão, contendo também princípios e métodos para orientar as empresas.

 

É realizado um diagnóstico através do exame de relatórios e informações fornecidas pelo cliente e de entrevistas para identificar o que precisa ser ajustado ou mudado para que a empresa alcance as metas previstas com relação aos resultados do seu negócio. No diagnóstico serão levantados gaps quanto ao modelo de gestão identificados problemas e propostas de sugestões para sua solução,

 

A partir daí, será proposta uma estratégia acompanhada de um plano de implantação das mudanças aprovadas pela Direção. A gestão da implementação das mudanças poderá contar com a assessoria da consultoria.

Image by Scott Graham

Insights

O Crescimento da Inovação Aberta

No século XX o processo de inovação nas empresas era conduzido principalmente através dos seus centros de pesquisa e desenvolvimento próprios que em certos casos se articulavam com os centros, núcleos e institutos de pesquisa de Universidades e com Institutos Pesquisa especializados por área de conhecimento.

 

A partir do século XXI , principalmente depois do ano de 2010  começou o movimento por parte das Empresas (principalmente as grandes empresas)  seguido por órgãos de governo e também por institutos de pesquisa setoriais de procurarem inovação de produtos e processos ou solução para problemas tecnológicos e de gestão através de startups – que foi chamado de inovação aberta.

 

Em 2016, o primeiro ano de publicação do ranking, da plataforma 100 Open Startups, eram 82 grandes empresas, 108 startups e 859 relacionamentos de inovação aberta. No último ano, foram 1.635 empresas e 2.018 startups, totalizando 12.436 negócios. A plataforma 100 Open Startups considera todas as relações de negócio estabelecidas entre startups e empresas com mais de 100 funcionários ou com faturamento superior a 100 milhões de reais ao ano. O volume de acordos de inovação aberta entre empresas e startups teve um crescimento exponencial de 20 vezes nos últimos cinco anos.